CURITIBA. ÂNUS NA FRENTE.

Surrupiamos a célebre frase de Luiz Rettamozo para lembrar que: dos 319 anos que Curitiba completa amanhã, os primeiros 160 foram como cidade paulista.

***

Fundada em 1693, a vila, depois cidade, pertencia à província de São Paulo. Isso até 1853, quando ocorreu a emancipação política do Paraná.

***

Apenas 159 anos da história da cidade são paranaenses: menos da metade do número de velinhas no bolo desta quinta-feira.

***

Isso explica muita coisa.

***

Não é à toa que, ainda hoje, se alguém que não usa gravata todo dia é visto usando, das duas uma: ou ligar pra São Paulo ou fazer exame de fezes. Todo mundo aqui em Curitiba sabe disso.

***

Ou não?

***

Então eles que aproveitem, aqueles senhores e senhoras reclamões autodepreciativos, reservas morais dos bons costumes repressivos, bolsões de risinhos amarelos desprezantes e desprezíveis. Que sentem uma espécie de orgulho invertido ao apontarem sempre que possível o supostamente eterno provincianismo dos curitibanos. Reclamem e apontem seu dedo duro à vontade para qualquer iniciativa mais livre (ousada é uma palavra tão gasta…) de seus concidadãos. Mas façam isso rápido. Vocês não têm muito tempo.

***

***

2012 é o fim do mundo para nossa vida de ex-paulistas exilados numa terra inculta e cinza longe dos bons restaurantes.

***

Ano que vem, a cidade faz 320. Ficam 160 pra São Paulo, 160 pro Paraná. O jogo empata. A balança equilibra. Estamos quites. Daí pra frente é tudo nosso.

***

Capital do Paraná. O que será que isso quer dizer? Que diferença isso faz? Que diabo de homenagem é essa? Falar nisso é pecado?

***

Uma velha Curitiba morre hoje. Somos gratos a ela. Que descanse em paz.

***

Uma nova Curitiba está nascendo agora, com mais gente disposta a criar, solucionar, superar e aproveitar e se divertir do que a reclamar.

***

Este é o último 29 de março do resto da vida daquela. E o primeiro da nossa.

***

Muitas felicidades, Curitiba, meu amor.

*

*

E, à guisa de comemoração, nessa véspera de aniversário que também é véspera de campanha eleitoral, um trecho de Preponderância do Pequeno, novo romance de Antonio Cescatto, que conta uma história tensa e hilária sobre uma dessas campanhas. Médico abstêmio e publicitário praticante, ele lançou este seu segundo volume de ficção pela Kafka, a mesma editora do Luis Felipe Leprevost, do Manoel Carlos Karam, que está tomando uma Heineken no paraíso, e do Paulo Sandrini. E isso só como um exemplo das muitas outras pessoas que expressam a mudança nesta cidade principalmente pelo fato de continuarem aqui, vivendo, se expressando, publicando, dando novas formas para um nosso velho mau humor ir brincar.

***

“…

Que diabos sei eu sobre o que acontece?

                Tentei ser polido.

                Sem deixar de ser franco. Vim de coração aberto. Coração aberto? Apaguei. Era melhor: com boa vontade.

                Encontrei portas fechadas. Reuniões a portas fechadas. Conversas a portas fechadas. Comecei a sonhar com     portas fechadas.

                Não cheguei a tanto. Limitei-me a mencionar as portas fechadas.

O Pasquale e o Tito passaram o dia enfurnados. Não vejo as caras. Faço roteiros sobre roteiros e repasso. Na maior parte das vezes, Pasquale nem olha. Noutras, lê e guarda. Não participo das discussões de estratégias. Não discutimos caminhos. Colho informações que tento roteirizar.

                Eu sei. Divagava. Começava a me perder.

                Fora isso, tenho dúvidas sobre a estratégia. A história de falar que o modelo da cidade é ultrapassado. A insistência na ideia da mudança.

                Essa parte eu não escrevi, claro. Limitei-me a criticar a estratégia de Homero Furtado.

                Nesse tempo eu não entendia ainda que não se critica a estratégia de Homero Furtado.

                Segue-se a estratégia de Homero Furtado.

                …”

Preponderância do Pequeno, de Antonio Cescatto – Kafka Edições, Curitiba, 2010.

Anúncios

6 comentários em “CURITIBA. ÂNUS NA FRENTE.

Adicione o seu

  1. que cheiro de cueca! que bom vê-los aqui, rapazes! da california, de brasília, da floriano essenfelder, e até, quem diria, da ccz! que massa! abração a cada um de vocês, no meu irmão e nos bróder. e, a propósito, quem ainda não assinou o blog, é só escrever seu imeio ali no buraquinho, que é mais embaixo, que nossos nanorrobôs levam até a sua caixa postal tudo que eu publicar aqui, na hora que for. e podem ficar tranquilos, que é só bem de vez em quando. o que, é claro, assim como quase tudo na vida, pode mudar. abrax! valeu!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: